sábado, 31 de janeiro de 2015

As digitais do tesoureiro

Investigações se aproximam de João Vaccari Neto a partir da inclusão da empreiteira Schahin no inquérito da Lava Jato. O petista seria o elo com a empresa suspeita de ter integrado o esquema de desvio de recursos da Petrobras para irrigar os cofres do PT.

abre.jpg

O CERCO SE FECHA
Ligação do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, com empreiteira
investigada no esquema da Petrobras complica ainda mais sua situação
Na terça-feira 27, a Polícia Federal abriu dez novos inquéritos contra empreiteiras citadas no Petrolão. São suspeitas de conluio em licitações e pagamento de propina a políticos e executivos. Dentre elas, atrai especialmente a atenção da força-tarefa da Operação Lava Jato o grupo Schahin. Fundado pelos imigrantes sírios Salim e Milton Taufic Schahin, o grupo se originou numa corretora de valores, evoluiu para empreendimentos imobiliários e hoje atua em todos os setores estratégicos da economia, como telecomunicações, produção e transmissão de energia, infraestrutura portuária e até exploração de petróleo do pré-sal.
Uma das estrelas petistas mais próximas dos irmãos Schahin é o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, que, agora, corre sério risco de virar réu na Justiça Federal do Paraná. Com base na recente delação do ex-gerente de Engenharia da Petrobras Pedro Barusco e em depoimentos de outros investigados, como o ex-diretor internacional da estatal Nestor Cerveró, que foi preso no início do mês, a PF suspeita que o grupo Schahin tenha integrado o esquema de desvio de recursos da Petrobras e de outras obras públicas para encher os cofres do PT. Os contratos da Petrobras com o grupo empresarial preveem o arrrendamento de plataformas e navios-sonda de exploração em águas ultraprofundas. No total, a Schahin teria recebido US$ 15 bilhões pelos contratos. Indícios levantados pela PF sugerem que o dinheiro desviado percorreu uma rota internacional complexa, escoando por meio de mais de uma centena de contas bancárias distribuídas em quase 50 offshores em uma dezena de diferentes paraísos fiscais, como Panamá, Suíça, Ilhas Virgens Britânicas, Ilhas Marshal, Cayman e Luxemburgo. “A engenharia financeira criada pelo grupo Schahin para os contratos com a Petrobras é uma espécie de cebola, com várias camadas até o seu núcleo.
Para chegarmos aos verdadeiros controladores, precisamos descascá-la camada por camada”, afirma um dos delegados envolvidos na investigação. Só no Panamá, o grupo Schahin criou ao menos nove offshores. Uma delas é a Turasoria S.A., proprietária do navio-sonda SC Lancer, arrendado à Petrobras. No contrato social da Lancer, são indicados como sócios José Jannarelli, Lilian de Muschett e Kenji Otsuki. Em 2013, o nome de Muschett apareceu no escândalo envolvendo o premiê da Espanha, Mariano Rajoy. Ela figurava em empresas fantasmas criadas pelo ex-tesoureiro do PP espanhol Luis Bárcenas para lavar dinheiro de corrupção. Otsuki, por sua vez, já foi citado como “homem da propina do Banco Schahin” pelo corretor Lucio Bolonha Funaro, também citado no caso do mensalão.
Em Dellaware, nos EUA, o grupo Schahin mantém outras duas offshores, a Soratu Drilling LLC e a Baerfield Drilling LLC, controladoras de outras sondas arrendadas à Petrobras. Extratos bancários, obtidos por ISTOÉ, revelam que essas empresas receberam recursos da conta nº 232222-04 que o Banco Schahin mantinha no Clariden, na Suíça. Em 2011, a entidade financeira foi vendida pelo grupo ao BMG. Posteriormente, uma investigação sigilosa do Banco Central apontou que a Schahin desviou US$ 110 milhões de contas dos clientes para o banco Clariden e que os recursos desapareceram. Agora, suspeita-se que o dinheiro foi usado para alavancar empréstimo de US$ 1 bilhão dos Schahin junto ao Deutsche Bank para o arrendamento dos navios-sonda para a Petrobras.
Funaro, que possui uma antiga disputa judicial com o grupo Schahin, promete arrolar a Petrobras numa ação contra o grupo em Nova York. Na CPI que investigou a Petrobras em 2009, ele também denunciou a “relação umbilical” dos Schahin com Vaccari e os fundos de pensão Previ, Petros e Funcef. A oposição tentou investigar o caso, mas não conseguiu. Na última Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar crimes contra a Petrobras, no ano passado, deputados do PPS e do PMDB mineiro apresentaram requerimentos para audiências sobre os contratos da Schahin com a estatal. Mas os requerimentos foram sumariamente engavetados pelos governistas. A blindagem sobre os negócios da Schahin também impediu que avançassem todas as tentativas de denúncias recentes, inclusive de gente ligada ao PT.
No final de 2012, o publicitário Marcos Valério procurou um acordo tardio de delação premiada para tentar reduzir sua condenação no processo do mensalão. Ofereceu ao MPF denúncia-bomba de que a cúpula do PT teria recorrido a um empréstimo de R$ 6 milhões do Banco Schahin para comprar o silêncio de um empresário de Santo André que ameaçava envolver Lula, José Dirceu e Gilberto Carvalho na morte do ex-prefeito Celso Daniel. Segundo Valério, a ajuda de Schahin rendeu ao grupo os gordos contratos de arrendamento de sondas à Petrobras. Em abril do ano passado, para tentar preservar o mandato parlamentar e evitar a expulsão do PT, o então deputado federal André Vargas envolveu o nome da Schahin com o casal Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann em negociatas na hidrelétrica de Itaipu. Coincidência ou não, Gleisi foi tesoureira da usina e até dias atrás Vaccari tinha assento no conselho de administração.
Além das sondas e plataformas, a Schahin também faturou
com obras de gasoduto e até da reforma do Centro de Pesquisas da Petrobras
Mesmo execrado do partido e sem mandato, Vargas ainda guarda o que sabe para usar num eventual processo. Cerveró, por exemplo, entregou só uma ponta do iceberg de segredos da relação PT-Schahin-Petrobras. Contou que a estatal começou a negociar com a empresa a partir de 2006, para suprir a demanda por plataformas FPSOs e navios-sonda de exploração em águas ultraprofundas. Explicou que a primeira parceria foi firmada com a japonesa Mitsui e que a Schahin entrou como “investidora”. A PF e o MPF querem entender por que uma empresa líder mundial do setor precisaria se associar a um grupo brasileiro sem expertise e em situação financeira precária. A suspeita dos investigadores é de que a Schahin tenha entrado como intermediária para viabilizar o pagamento de propina ao PT.
De 2006 até hoje, os contratos de arrendamento se multiplicaram. Em 2008, foram adquiridos dois navios-sonda, e outro no ano seguinte. Em 2011, a estatal arrendou mais duas plataformas e, em 2012, fechou negócio para mais três navios-sonda. A maioria desses contratos, obtidos por ISTOÉ, é remunerada por hora, mesmo quando os navios não estão em uso. Além das sondas e plataformas, a Schahin também faturou com obras de gasoduto e até da reforma do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes). Esta obra foi citada pelo ex-gerente Pedro Barusco como exemplo da “boa relação” entre Vaccari e o grupo Schahin. Na delação premiada, Barusco revelou uma “troca de propinas” com o tesoureiro do PT. Disse que precisava receber um “crédito” dos Schahin pela obra do Cenpes e, como devia para Vaccari, resolveu fazer uma permuta, pela qual o tesoureiro herdaria a propina do ex-gerente. Procurada, a Schahin se limitou a responder que “desconhece os termos do noticiado inquérito”.

PMDB indica Renan Calheiros para disputar presidência do Senado


O PMDB oficializou nesta sexta-feira (30/01) que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) será o candidato do partido na disputa pela presidência do Senado. A reunião da bancada do partido terminou com 15 dos 19 senadores pemedebistas se manifestando a favor da reeleição de Renan, que é o atual presidente da Casa.

Desde terça-feira (27/01) o senador Luiz Henrique (PMDB-SC) anunciou que irá disputar a presidência do Senado, independentemente da indicação oficial de seu partido. Luiz Henrique já recebeu o apoio de representantes de seis partidos – PDT, PSDB, DEM, PSB, PP e PSOL – além de alguns colegas do próprio PMDB.

Como já tinha tomado a decisão “irrevogável” de entrar na disputa, Luiz Henrique optou por não participar da reunião do PMDB, e encaminhou uma carta aos colegas na qual comunicou a candidatura avulsa. Como historicamente a indicação do presidente é feita pelo partido com maior bancada, o senador Renan Calheiros criticou a decisão de Luiz Henrique de concorrer mesmo não tendo o aval do PMDB.

“É preciso respeitar a proporcionalidade, respeitar as indicações dos partidos. O Congresso não caminha por projetos pessoais, candidaturas avulsas. É fundamental não revogar as normas que fazem com que o Parlamento caminhe”, declarou Renan depois de ter o nome oficializado.

Criticado por ter demorado a assumir a candidatura à reeleição, Renan justificou que não poderia fazer o anúncio antes que seu partido tomasse a decisão, oficialmente. “O papel do presidente do Senado é complexo. Você não pode se colocar como candidato à reeleição, atropelando eventual legítimo interesse que por ventura exista na própria bancada, como é o caso. Você primeiro precisa da indicação da bancada, do respeito à proporcionalidade para procurar os outros partidos, porque quando você antecipa essa decisão as pessoas perguntam: 'e a manifestação do seu partido? Será que seu partido vai te indicar?'. Isso é fundamental, que é o respeito ao estatuto, à regra e ao regimento do Senado Federal”, disse.

Apesar de faltarem apenas cerca de 48 horas para a eleição para a Mesa Diretora do Senado, Renan Calheiros se disse “confiante”, e deve começar a ligar para os colegas em busca de apoio. Luiz Henrique, por sua vez, anunciou mais cedo que espera contar com 45 votos no próximo domingo.

Governo avalia medidas para reduzir a demanda de eletricidade no país


Para reduzir a demanda de eletricidade no país, o governo federal anunciou que estuda medidas para serem lançadas daqui 60 a 90 dias. O objetivo do Ministério de Minas e Energia é fazer um programa que tenha impacto positivo no país e ganhe adesão de todos os setores.

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (30/1), o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmou que já estão ocorrendo reuniões para planejar as medidas. O Operador Nacional do Sistema (ONS), Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e a Agência Nacional de Energia elétrica (Aneel) participam do processo. Braga anunciou, ainda, que planeja premiar a quem atingir a eficiência energética.

Perguntado sobre o risco de racionamento por causa do volume de chuvas abaixo da média esperada, o ministro anunciou que nova avaliação do cenário energético será feita no dia 12 de fevereiro, em uma reunião em Brasília.

Consumo
O consumo de energia elétrica, registrado pelo Sistema Interligado Nacional (SIN) no ano passado, cresceu 2,2% em relação a 2013, contabilizando o menor aumento anual desde a demanda negativa de 1,1%, em 2009, no auge dos efeitos da crise econômica deflagrada em setembro de 2008 com a quebra do banco norte-americano de investimentos Lehman Brothers.

O fraco desempenho do setor energético no ano passado teve como principal responsável o setor industrial brasileiro, que ficou bem abaixo das previsões iniciais do setor. Em 2014, o consumo da indústria caiu 3,6%, comparado a 2013.

Corpo de americano é achado na Imigrantes, em SP


O executivo americano David Benjamin Sommer, de 50 anos, foi encontrado ontem enterrado às margens da Rodovia dos Imigrantes, em São Paulo. O estrangeiro estava desaparecido desde o dia 11, quando foi visto pela última vez entrando em uma casa de prostituição. Um homem confessou ter matado Sommer e foi preso pela polícia. Alysson Gonçalves Canuto, de 28 anos, era supostamente o gerente da casa e teve um desentendimento com o americano no dia 11. Ele teria admitido que aplicou um golpe conhecido como "mata-leão" no executivo e injeções de sonífero. A polícia solicitou à Justiça a prisão temporária do suspeito.

As investigações começaram no dia 14, após uma sócia da vítima registrar o desaparecimento. Sommer morava no Brasil havia 9 anos e trabalhava para a Zurich Seguradora. Ele era divorciado de uma brasileira e morava na Liberdade, região central.

ONS acende o sinal vermelho para Três Marias e Furnas

energia.jpg

Em pleno período chuvoso, duas importantes hidrelétricas do Sudeste e do Centro-Oeste entraram em situação crítica por causa da queda constante do nível de seus reservatórios. No Rio São Francisco, a atenção está voltada para a Hidrelétrica Três Marias. Localizada na cabeceira do rio, a usina funciona como um regulador de vazão da água que chega até os demais reservatórios do São Francisco.
Na última quinta-feira, Três Marias registrava 10,34% da capacidade total de seu reservatório. Com capacidade de gerar 396 megawatts (MW), a usina está com apenas uma de suas seis turbinas em operação, entregando somente 36 MW. A ordem do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é armazenar toda água que for possível.
 
No Rio Grande, a preocupação é com Furnas, hidrelétrica de 1.216 MW de potência que também tem papel crucial na geração nacional de energia. Das 8 turbinas de Furnas, 6 ainda estão em operação, mas podem ser alvo de redução nas próximas semanas. Para preservar a usina, o ONS já colocou Furnas no fim da fila de geração diária. A orientação é explorar primeiro todas as outras fontes energéticas da região. Em resposta ao Estado, as estatais Cemig e Furnas, responsáveis pelas duas usinas, informaram que têm seguido as orientações técnicas de geração determinadas pelo ONS.
 
Racionalização
 
Na semana passada, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, chegou a dizer que medidas de racionamento ou de racionalização seriam necessárias caso as hidrelétricas registrassem níveis inferiores a 10% de sua capacidade máxima. Foi exatamente o que acabou de acontecer com Furnas, que na última quinta-feira registrava volume de 9,87% em seu reservatório.
 
Para preservar os estoques de água, o ONS tem reduzido o volume que passa pelas turbinas das hidrelétricas. Em Três Marias, a vazão de 140 metros cúbicos por segundo já foi reduzida no ano passado para 120 m³/s. Em avaliações recentes, o ONS afirma que "estudos indicam a necessidade de se implementar redução adicional em sua defluência", ou seja, limitar ainda mais o volume de água que passa pela barragem. A comparação do cenário atual com o de um ano atrás nas duas usinas dá uma dimensão da gravidade do problema hoje.
 
Em janeiro de 2014, Três Marias acumulava 28% de sua capacidade total de armazenamento; Furnas, 47%. Esses volumes de água, no entanto, não evitaram que ambas chegassem a níveis mínimos durante o período seco, entre maio e novembro. Em outubro, Três Marias agonizou, com apenas 2,89% de sua capacidade. Em Furnas, o armazenamento chegou a 11,64% em novembro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Major Luciano do corpo de bombeiros esclarece : Grupamento de Socorristas de Araripina é ilegal


O Major Luciano comandante regional do Corpo de Bombeiros, sediado em Salgueiro esclareceu hoje em entrevista, em emissora de rádio de Araripina, que Grupamento de Socorristas de Araripina é ilegal, esclareceu que existe impedimento legal para essa atividade, não existe legislação legal que ampare esse serviço, somente o corpo de bombeiros podem fazer atividade e o Samu, em via pública, e que orientou a prefeitura que a atividade não é regulamentada e poderia trazer sérios problemas, para as pessoas que seriam atendidas.

Dante Arruda

Corpo de bombeiros de Araripina desfaz boatos


O Major Luciano e o capitão Francinaldo estiveram hoje concedendo uma entrevista em uma emissora de rádio aqui na cidade de Araripina, para desfazer boatos, que se tem criado em relação ao posto avançado da corporação, instalado na cidade.
Os oficiais deixaram bem claro, que mantém uma parceria com as prefeituras de Araripina e Ouricuri, e que essa parceria tem dado bons resultados, no sentido, que as cidades disponibilizam o local e a corporação coloca o efetivo, materiais e viaturas, o major explicou, que  "O governo do estado, é quem é responsável pelos quartéis da corporação, e que o prefeito Alexandre Arraes, não tem nenhuma obrigação com o corpo de bombeiros, o que existe na realidade é uma parceria entre prefeitura e a corporação, a estrutura que foi montada na cidade, é provisória e é responsabilidade do estado construir o quartel, mais que a prefeitura de Araripina continua dando total apoio ao corpo de bombeiros.
Continuou o Major Luciano, que o quartel aqui na cidade de Araripina, quando foi se instalar recebeu toda estrutura suficiente para os bombeiros trabalharem, depois é claro que surgem problemas de manutenção que vão sendo resolvidos, a medida que vão aparecendo, ele frizou, que foi o responsável pelo croqui (planta) da estrutura da cidade e que alguns materiais da reforma que não deram certo, ele assume a culpa.

O capitão Francinaldo explicou, "Que o local onde o quartel se instalou não era novo, era uma galpão de uma fábrica que foi reformado, que é normal precisar de manutenção devido o tempo, e tem passado por manutenção periodicamente, e que a prefeitura tem atendido, na medida do possível a todos os pedido do tenente Rivaldo comandante responsável por Araripina.
"Os problemas são pontuais, e não impede de maneira alguma o trabalho da equipe", finalizou o major Luciano.
No final da entrevista, o locutor colocou a culpa no exagero do vereador Luis Henrique que criou a polêmica na câmara municipal.

Pesquisa revela que 45% da população admite não usar camisinha


O brasileiro sabe da importância do preservativo para evitar o contágio pelo HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), mas nem por isso usa o método. É o que aponta a Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas na População Brasileira (PCAP) divulgada ontem. Segundo o estudo, baseado em dados de 2013, 94% da população sabe que a camisinha é a melhor forma de prevenir as DSTs, porém, ao mesmo tempo, 45% admitiram que não a usaram em relações casuais. A nova pesquisa também mostra que o brasileiro têm tido mais parceiros sexuais nos últimos anos.
O próprio Ministério da Saúde admite que os resultados variaram pouco nos últimos anos, mesmo com as campanhas de estímulo à prevenção da Aids e ao uso da camisinha. Há 11 anos, 58% dos entrevistados informaram ter tido relações eventuais sem o contraceptivo, e 96,9% sabiam da importância do recurso. Dados de 2008 mostram que 48% transaram sem o uso. “Isso significa, de maneira muito contundente, que não podemos continuar lidando na sociedade brasileira apenas com o preservativo”, admitiu o ministro da Saúde, Arthur Chioro. “É uma mensagem muito clara. A camisinha perde seu espaço? Em hipótese alguma. Mas precisaremos lidar com outras estratégias”, completou.

A pesquisa também mostra que o brasileiro tem tido um comportamento sexual mais liberal nos últimos anos. Em 2008, apenas 9,3% dos 8 mil entrevistados tinham feito sexo casual com mais de cinco pessoas. Em 2013, esse número havia subido para 12,1%. Ao mesmo tempo, apenas 25,9% dos brasileiros haviam relatado ter tido mais de 10 parceiros ao longo da vida em 2008. Cinco anos depois, esse número atingiu 43,9% dos entrevistados. A PCAP consulta pessoas com idades entre 15 e 64 anos.

Bandidos explodem agências do Banco do Brasil e Bradesco em Correntes. Veja as fotos!

Agência do Banco do Brasil de Correntes-agresteviolento.com.br

Cerca de 20 homens fortemente armados invadiram na madrugada desta sexta-feira (30), a cidade de Correntes no Agreste, e dinamitaram os caixas eletrônicos das agências do Banco do Brasil e A ação foi rápida e eles usaram quatro caminhões para fechar todos os acessos ao município, sendo dois deles incendiados dificultando a chegada de reforço da Polícia Militar, o pelotão da PM ficou cercado impedindo a saída dos policiais que não ficaram feridos, o bando efetuou mais de trinta tiros de fuzil nas paredes do prédio, segundo informações um casal que seria proprietário dos caminhões foram feridos a bala, o homem levou dois tiros passou por cirurgia e não corre risco de morrer, a mulher levou um tiro de raspão
Ainda não se sabe se o bando conseguiu levar alguma quantia em dinheiro, o fato deixou a população local assustada e isolada uma vez que os caminhões estão bloqueando os acessos ao município.
Agencia do Bradesco em Correntes-agresteviolento.com.br
Dinamite
bandidos-explodem-bancos-em-correntes-agresteviolento.com-5.

Parecer é favorável à reeleição de Guilherme Uchoa


A procuradoria da Assembleia Legislativa é favorável à reeleição do deputado estadual Guilherme Uchoa (PDT) para a presidência da Casa. O parecer foi apresentado nesta quinta-feira (30) pelo deputado Eriberto Medeiros (PTC), autor da consulta aos procuradores da Casa. O resultado já era esperado pelos integrantes do Legislativo estadual. 
O parecer da procuradoria estava pronto desde a segunda-feira (26), mas foi divulgado apenas nesta tarde, porque os deputados quiseram se munir de mais argumentos jurídicos para não permitir questionamentos à possibilidade de nova candidatura de Guilherme Uchoa. A divulgação também ocorre depois que a divisão dos cargos da mesa diretora foi definida. 

Desde a última terça-feira (27), foram realizadas diversas reuniões dos deputados com a presença de representantes do governo do estado. A composição da chapa de Guilherme Uchoa foi acordada com o Palácio do Campo das Princesas.