Supermercado Brastudo

Supermercado Brastudo

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Prefeito de Araripina Alexandre Arraes publica em rede social esclarecimento sobre o São João 2016.


Está se aproximando a época junina em nosso município, e junto dela nossa tradicional festa de São João que como todos sabem a prefeitura, junto do governo do estado vem ao longo dos últimos 4 anos trabalhando para consolidar nossa cidade como um dos festejos juninos do estado, juntos de Caruaru, Arcoverde, Petrolina, Limoeiro, Gravata e Salgueiro. Como é de conhecimento de todos esse é um ano atípico na nossa economia, e essa crise instalada no Brasil que afeta diretamente a receita dos governos municipais já tão sofridos. E por isso, estamos fazendo vários cortes ao longo do ano para conseguir encerrar nosso mandato a frente da Prefeitura de forma digna e com responsabilidade financeira e contábil que sempre foram marcas registradas da nossa gestão. A frente da prefeitura de Araripina e com a cooperação da secretaria de Cultura que teve ao longo desses anos como secretario, Lidio Santiago que foi responsável diretamente por buscar parcerias publicas que possibilitaram trazer vários nomes da musica nacional ao longo dos anos, como Amado Batista, Wesley Safadão, Bruno e Marrone, Zezé de Camargo e Luciano, Leonardo, Léo Magalhaes, Luan Santana, Gusttavo Lima, Aviões do Forró, Gabriel Diniz entre outros. E temos certeza que essa será uma marca da nossa gestão, que além de realizar grandes eventos, soube valorizar a cultura local, através dos maiores São João dos Bairros e festas de distritos que já houveram.
Em 2016, nosso desejo é fazer com que essa cultura continue sendo valorizada, mas as condições financeiras atuais do município junto da nossa responsabilidade de fechar nossa gestão de forma positiva, para além de deixar um legado para população, deixar um legado para nossa cidade e para o próximo gestor, impedem de seguirmos com o mesmo planejamento dos últimos anos. 
Isso em detrimento de manter serviços básicos, como salários, investimentos em infraestrutura, saúde e Educação. Tomamos algumas decisões respaldadas e orientadas por nossa Secretaria de Finanças e Controladoria que visam a estabilidade financeira do município, entre eles a redução e 50% do investimento que no São João de 2016 da parte de recursos próprios do munícipio. 
E para cumprirmos esse corte vamos reduzir o São João para 4 noites de evento, seguindo uma tendência natural de outros eventos do Brasil e da nossa própria região (Festa de Janeiro de Ouricuri, 4 dias. Festa de março de Bodocó, 3 dias. São João de Salgueiro 2016, 4 dias). Além de reduzir a quantidade de dias pretendemos incluir na nossa grade mais artistas de cunho regional, em detrimento a artistas nacionais, que possam ser subsidiadas através do governo do Estado, que tem essa prerrogativa no seu portfolio de Artistas.
Responsabilidade sempre foi uma marca do meu governo, e pensando nisso não podemos nos prender a vontade de querer fazer o que foge da capacidade atual do município. Sei que muitos gostam e dependem das nossas festas para viver. Mas por sempre buscar tomar decisões respaldadas pela maioria da população vamos seguir preferenciando os serviços essenciais, fazendo nossos festejos dentro da nossa realidade atual, em concordância com anseios da população.

Matou a Mãe : Suzane Von Richthofen ganha o direito de passar o Dia das Mães em casa


Condenada a 39 anos de prisão por ter assassinado os pais em 2002, a paulista Suzane Von Richthofen ganhou o direito de passar o Dia das Mães em liberdade. Ela deixou a penitenciária feminina de Tremembé – onde cumpre a pena – às 9h desta quarta-feira (4/5) e só deve voltar na próxima terça (10/5).

A saída temporária foi concedida por uma decisão judicial. Procurada pela reportagem, a Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo (SAP/SP) disse que não comenta tais decisões. A pasta se limitou a explicar, em nota, que o benefício está previsto na Lei de Execuções Penais. "Os condenados que cumprem pena em regime semiaberto, de bom comportamento, poderão obter autorização para saída temporária do estabelecimento, por prazo não superior a sete dias, em até cinco vezes ao ano."

O Tribunal de Justiça de São Paulo também alegou não poder comentar a concessão do benefício para Suzane. Segundo a Corte, a Lei Orgânica de Magistratura proíbe que os juízes falem a respeito de casos que estão julgando.

De acordo com a SAP, essa foi a segunda vez que Suzane deixou a penitenciária de Tremembé, desde que migrou para o regime semiaberto, em agosto de 2014. Ela já havia sido beneficiada com uma saída temporária na Páscoa deste ano. A lei que rege o benefício prevê que, para desfrutá-lo, os presos precisam ter comportamento adequado e ter cumprido um sexto da pena (em caso de réus primários). Além disso, é preciso haver “compatibilidade do benefício com os objetivos da pena."

Em relatório, Anastasia diz que 'há indícios suficientes' para impeachment


O senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) se posicionou de forma favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em seu relatório, o tucano afirmou que há indícios do cometimento do crime de responsabilidade pela petista. “Em face do exposto, consideramos que os fatos criminosos estão devidamente descritos , com indícios suficientes de autoria e materialidade, há plausibilidade na denúncia e atendimento aos pressupostos formais, restando, portanto, atendimentos os requisitos exigidos pela lei para que denunciada responda ao processo de impeachment”, afirmou Anastasia. O relatório do tucano tem 126 páginas e é pela admissibilidade da denúncia, com a consequente instauração do processo de impeachment contra Dilma Rousseff

Em outro trecho de sua análise, Anastasia afirma que a tese da defesa de se tratar de prejuízo das instituições democráticas não é aplicável. "Preliminarmente às considerações finais deste Relatório, cabe refutar as insistentes e irresponsáveis alegações, por parte da denunciada, de que este processo de impeachment configuraria um “golpe”. Em primeiro lugar, nunca se viu golpe com direito a ampla defesa, contraditório, com reuniões às claras, transmitidas ao vivo, com direito à fala por membros de todos os matizes políticos, e com procedimento ditado pela Constituição e pelo STF", afirma.

A discussão do parecer de Anastasia será feita nesta quinta-feira, quando o advogado-geral da União, José Eduardo Cardoso, responsável pela defesa da presidenta, terá uma hora para contrapor as conclusões do relator. Em seguida, os senadores passam a debater o parecer que será votado pelo colegiado nesta sexta-feira.

Na Comissão Especial o documento precisa do apoio da maioria simples dos senadores, ou seja, metade mais um dos que estiverem presentes a sessão. Se admitido, também em votação por maioria simples, Dilma será imediatamente afastada do cargo por até 180 dias. Nesse período, o vice-presidente Michel Temer assumirá a presidência da República.

Tumulto

A leitura do parecer de Antônio Anastasia começou após tumulto e bate-boca entre os parlamentares que compõe a Comissão Especial de Impeachment. O presidente do colegiado, Raimundo Lira (PMDB-PB), teve que interromper a sessão devido aos desentendimento entre os senadores Lindberg faria (PT-RJ) e Ricardo Ferraço (PMDB-RJ). enador petista, Lindberg Faria (RJ), questionou ainda o fato de Anastasia, segundo ele, não ter cumprido a meta de superávit fiscal durante a gestão dele em Minas. O clima ficou tumultuado, após Faria dizer que os colegas de comissão praticariam “cinismo” ao julgar a presidente por uma prática reiteradamente utilizada pelos governadores. Para contraditá-lo, o senador Ricardo Ferraço (PSDB-RJ), acusou Lindberg de “aparecer para TV”.

Caso Serrambi faz 13 anos nesta terça-feira e segue em polêmica

Maria Eduarda e Tarsila foram vistas caminhando na praia antes de desaparecer. Foto: Divulgação

No dia 3 de maio de 2003, as adolescentes Maria Eduarda Dourado e Tarsila Gusmão, ambas com 16 anos, desapareceram após um passeio de lancha com um grupo de amigos, na praia de Serrambi, no Litoral Sul do estado. Dez dias depois, os corpos das duas garotas foram encontrados em estado de decomposição num canavial, no distrito de Camela, em Ipojuca. Nesta terça-feira faz 13 anos que as duas adolescentes foram vistas com vida pela última vez.
Um júri popular realizado no ano de 2010 absolveu os dois suspeitos do crime que, segundo a Polícia Civil, foram os irmãos kombeiros Marcelo e Valfrido Lira. Em março no ano passado, o Tribunal de Justiça de Pernambuco julgou a apelação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) que pedia a anulação do júri. No entanto, A 1ª Câmara Criminal do TJPE decidiu por unanimidade manter o resultado do júri popular.
Com isso, o advogado Bruno Lacerda, que atuou como assistente de acusação do MPPE, entrou com um recurso especial no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para recorrer da decisão dos desembargadores. O recurso ainda não foi julgado. “Ainda está na fase de exame para a elaboração do voto do ministro”, disse o advogado Bruno Lacerda.
O pedido de anulação do julgamento que inocentou os kombeiros por quatro votos contra três foi feito pelos promotores Ricardo Lapenda e Salomão Abdo Aziz, que acompanharam o caso na época, e pelos pais da adolescente Tarsila Gusmão. Para justificar a realização de um novo julgamento, a acusação apontou três pontos considerados favoráveis à nulidade, mas os desembargadores não acharam os pontos suficientes para uma anulação.
Irmãos kombeiros foram absolvidos em 2010. Foto: Heitor Cunha/DP
Em declaração dada em março do ano passado, Bruno Lacerda citou os três pontos. “Um advogado que atuou na defesa dos kombeiros, no início do processo era advogado de acusação contratado pela família de Maria Eduarda. Outro ponto foi a manifestação de uma jurada após o resultado do julgamento e ainda uma testemunha que não foi ouvida no processo que teria informações sobre o caso.”
A novela em torno do Caso Serrambi se arrastou por sete anos até chegar ao julgamento devido às divergências que existiram entre o então promotor de Ipojuca, Miguel Sales, falecido em outubro de 2014, e a Polícia Civil. O caso foi investigado cinco vezes, duas delas pela Polícia Federal, e em todas as conclusões os irmãos Marcelo e Valfrido foram apontados como autores do crime. Eles alegam que são inocentes.
Diário de Pernambuco

terça-feira, 3 de maio de 2016

Araripinense conduzirá Tocha Olímpica das Olimpíadas 2016

Clayton Marcelino

Comitê Organizador Rio 2016 divulgou, no dia 17 de março, as primeiras listas de condutores selecionados para o revezamento da Tocha Olímpica. As listas dos convocados são dos patrocinadores oficiais da competição.
A chama, que vem de Olímpia, na Grécia, chegou na manhã desta terça-feira ao Aeroporto Internacional de Brasília, ponto de partida para um roteiro que, nos próximos 95 dias, incluirá 327 cidades das cinco regiões do país, passando pelas mãos de 12 mil condutores até chegar, no dia 5 de agosto, ao Estádio Maracanã, local onde será acesa a Pira Olímpica e celebrada a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.
A Tocha Olímpica é um importante símbolo na história dos Jogos. Representa a paz, a união e a amizade entre os povos, e sua condução tem por objetivo levar a mensagem olímpica, de promoção da paz em lugar de conflitos. Tradicionalmente, o nome da última pessoa a levar a tocha até a Pira Olímpica na cerimônia de abertura no Maracanã, no Rio de Janeiro, é mantido em segredo. Em geral, a pessoa escolhida é alguma celebridade esportiva do país anfitrião. O Fogo Olímpico queimará na pira até o encerramento dos Jogos Olímpicos, quando será então apagado.
A campanha de seleção foi lançada em outubro de 2015, e o araripinense Clayton Marcelino, foi indicado por um dos patrocinadores oficiais, que indicou 2 mil condutores, e Clayton, que é ligado aos esportes foi um dos indicados para conduzir a tocha.
O araripinense, que mora em Recife, participará do evento no dia 02 de junho, em Olinda, Pernambuco, quando conduzirá a tocha.
Fonte : Araripina.City

Alexandre Arraes participa de reunião com moradores do Morais


Neste domingo, 01, o prefeito Alexandre Arraes cumpriu uma extensa agenda de reuniões, onde aproveitou para ouvir as comunidades visitadas e as demandas apresentadas. Uma das reuniões foi com os moradores do povoado do Ramalhete, zona rural do distrito do Morais.

Acompanhado pela assessora do governo Roberta Arraes; e das lideranças políticas vereador Francisco Edvaldo, Moisés Filho e Boba Sampaio, além de assessores municipais, o prefeito foi recepcionado pelas lideranças comunitárias do Ramalhete e a população em geral.

Sem formalidades o prefeito ouviu atentamente as reivindicações e as demandas daquela comunidade e como sempre se colocou à disposição para dentro das condições do município solucionar as mais emergentes. Da reunião participaram ainda moradores do povoado da Sipaúba.

“Estamos sempre participando de reuniões com as comunidades rurais de Araripina para ouvir as demandas e dentro das condições financeiras do município procurar atender a todos, pois a nossa meta sempre foi oferecer qualidade de vida para o povo”, disse o prefeito.



Da assessoria - Imagens : Fabiano Alencar