sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Médico: Schumacher pode levar 3 anos para se recuperar

Michael Schumacher em Madonna Di Campiglio, em  janeiro de 2006, na Itália

O médico que tratou de Michael Schumacher no Centro Hospitalar Universitário de Grénoble, Jean-François Payen, afirmou nesta quinta-feira que o ex-piloto está em condições muito favoráveis para sua recuperação, mas que ela só deve acontecer num prazo de um a três anos. "Eu tenho acompanhando algum progresso, mas eu diria que ainda vai levar tempo. É como outros casos semelhantes, uma escala de um a três anos, então temos de ser pacientes", disse o anestesista-chefe do hospital francês em entrevista à rádio RTL, depois de uma visita ao heptacampeão mundial de Fórmula 1. Schumacher segue se reabilitando em sua mansão na Suíça. Em dezembro do ano passado, ele sofreu um grave acidente em uma pista de esqui nos Alpes Franceses. 

O médico também elogiou a dedicação de Corinna, a mulher de Schumacher, durante o tratamento. "Sua mulher está rodeada por excelentes conselheiros e colocou tudo em prática para ajudá-lo na recuperação. Corinna certamente é a pessoa mais próxima de Michael no momento, mas ela possui a cabeça no lugar e está ajudando muito. O que ela está fazendo é simplesmente extraordinário." Payen não entrou em detalhes sobre o nível de intensidade das sequelas que Schumacher está enfrentando, mas apenas informou que é preciso de tempo para obter uma melhor avaliação: "A vida depois de uma lesão cerebral é pontuada por passos que podem deixar desde sequelas simples até as mais complicadas. Devemos seguir em frente e dar tempo ao tempo".
Schumacher bateu a cabeça contra uma rocha quando esquiava nos Alpes Franceses em dezembro do ano passado. Depois de quase seis meses internado no Centro Hospitalar de Grénoble, na França, ele foi transferido para o Hospital Universitário de Cantão de Vaud, na Suíça, para dar continuidade à sua recuperação. No começo de setembro, o alemão deixou a clínica e foi levado para sua mansão, também na Suíça. No último comunicado da assessoria de Schumacher à imprensa, foi ressaltado que nenhuma mudança significativa na saúde do heptacampeão tinha sido constatada. Recentemente, um jornalista francês especulou sobre a possibilidade de a câmera GoPro instalada no capacete de Schum

Dinheiro desviado da Petrobras chegava a Youssef em 24h

Investigação da PF já mostrou que, de outubro de 2010 a dezembro de 2013, pelo menos 37,7 milhões de reais foram desviados da refinaria Abreu e Lima


Crime perfeito: em depoimentos à Polícia Federal e ao Ministério Público, o doleiro Alberto Youssef relatou que as “doações legais” das empreiteiras foram a fórmula criada para esconder a propina

Laudo do Ministério Público Federal indica que valores repassados pela Petrobras para o consórcio CNCC, controlado pela Costrutora Camargo Corrêa, iam parar em apenas 24 horas na conta do doleiro Alberto Youssef. As informações são do site do jornal O Estado de S. Paulo. O documento, contudo, não imputa crimes às partes envolvidas na transação. A perícia do MP foi feita com base em duas planilhas da Petrobras - considera a estatal vítima da organização criminosa.

Investigação da Polícia Federal já mostrou que, de outubro de 2010 a dezembro de 2013, pelo menos 37,7 milhões de reais desviados da obra da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, foram repassados a empresas do doleiro.  O golpe foi aplicado da seguinte maneira: para repassar o dinheiro desviado, o consórcio responsável pela obra, liderado pela empreiteira Camargo Correa, simulou a contratação de serviços da empresa Sanko Sider. Esta, por sua vez, simulou a contração de duas empresas de Alberto Youssef.  Ninguém prestou serviço algum. O dinheiro, na prática, saiu dos cofres da Petrobras para os corruptos que se alimentavam no caixa da estatal.
Essa triangulação, feita para dificultar uma eventual investigação, para dar certo, precisava do aval da Petrobras. As normas da estatal obrigam todos os prestadores de serviço a possuírem uma certificação concedida pela própria empresa – uma forma de garantir que participem dos negócios apenas pessoas jurídicas idôneas. A  polícia descobriu que a Sanko Sider, a intermediária entre a empreiteira e o doleiro, operou durante oito anos com um certificado obtido de forma fraudulenta. 

CFM: desde 2003, governo deixa de gastar R$ 131 bi na saúde

CFM: Só no ano passado 12,78 bi de reais permaneceram nos cofres

Levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em parceria com a ONG Contas Abertas afirma que o Ministério da Saúde deixou de usar 131 bilhões de reais entre 2003 e 2014 na saúde pública. O período se refere aos dois mandatos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao da atual presidente, Dilma Rousseff, ambos do PT. A conta foi feita com base nos recursos autorizados pelo orçamento no período em relação ao que foi desembolsado pela pasta. Pelo cálculo feito no estudo, somente no ano passado 12,78 bilhões de reais permaneceram nos cofres. Neste ano, até outubro, dos 107,4 bilhões de reais autorizados, 80 bilhões de reais haviam sido usados.

"Há uma histórica subutilização dos recursos. Algo incoerente, sobretudo quando analisamos as necessidades do setor", afirmou o presidente do CFM, Carlos Vital. Ele disseque recursos seriam suficientes, por exemplo para construir 320.000 Unidades Básicas de Saúde de porte 1, destinadas para atendimentos mais simples. "O cálculo é feito apenas para dar uma dimensão do que poderia ter sido destinado para o setor e não foi", completou.
O Ministério da Saúde, em nota, contestou os dados. Afirma que nos últimos dez anos os recursos totais empenhados pela pasta alcançaram a média anual de 99% e garantiu cumprir o piso constitucional, calculado com base no que foi gasto no ano anterior, corrigido pela variação nominal do PIB.
Pelos cálculos do CFM, entre 2003 e 2014 a dotação autorizada para a área da Saúde totalizou 1,021 trilhão de reais. No período, no entanto, desembolsos foram de 891 bilhões de reais. Vital avalia que dois fatores impedem a utilização integral dos recursos. A primeira delas seria o contingenciamento, ordem dada pelo governo para que o dinheiro, embora previsto no orçamento, não seja usado. Em seguida, viriam problemas de competência administrativa.
Interação - "O dono do recurso tem de interagir, ir até seus parceiros, identificar as falhas e ajudá-los a superá-las. Faz parte da sua missão", disse Vital. Esta não é a primeira vez que o CFM faz levantamentos sobre a utilização de recursos destinados no orçamento para o Ministério da Saúde. Em anos anteriores, resultados foram encaminhados para o Ministério Público Federal e para Tribunal de Contas da União.
O levantamento feito pelo CFM mostra que entre 2003 e 2013 foi autorizado o uso de 81 bilhões de reais em ações de investimento em saúde, como construção de Unidades Básicas de Saúde ou aquisição de equipamentos. Desse total, porém, foram gastos 30,1 bilhões de reais - de cada 10 reais para investimentos, 5,6 reais deixaram de ser aplicados. Ainda de acordo com o levantamento, este ano foram reservados para investimentos 10 bilhões de reais mas, até outubro, 3,7 bilhões de reais haviam sido efetivamente pagos.
O Ministério da Saúde dá números diferentes. Afirma que para essas ações foi autorizado o gasto de 6,4 bilhões de reais e que até outubro, 67% desse valor já havia sido empenhado. "A execução orçamentária da pasta segue o cronograma e o período do exercício mesmo considerando o ano eleitoral", afirma a nota. Por lei, transferências da União para Estados e Municípios ficam suspensas no período de 90 dias que antecedem as eleições. A exceção fica por conta de obrigações que já haviam sido firmadas antes desse período.

Geraldo Julio critica violência na campanha, mas ataca governo do PT

Geraldo Julio durante ato a favor da candidatura de Aécio no Marco Zero. Foto: Igo Bione/JC Imagem.

Dono de uma das falas mais efusivas do ato organizado nesta quarta-feira (22) a favor da candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República, o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), fez um discurso em que disparou críticas contra a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) e ao governo federal. O ato aconteceu no Marco Zero um dia após os petistas realizarem caminhada no Recife.
Rebatendo as investidas do PT, o prefeito do Recife, que passou a apoiar Aécio no segundo turno, afirmou que não se pode permitir as campanhas de agressões feitas pelo PT.
“Acabou o tempo de um governo que dá as costas para o governo daqui. Um governo que acabou com a Petrobras para sustentar a base do Congresso Nacional. O povo não aguenta mais. Acabou. É a gente aqui que vai fazer essa mudança. Nós não podemos mais permitir uma campanha de agressões, de mentiras, de calúnias como foi feita. Uma campanha é feita para apresentar propostas ao povo”, bradou o prefeito do Recife.
“Aécio nos representa. Vamos fazer de Aécio presidente por uma vida melhor”, disse Geraldo, que em seguida pediu aos presentes que cantassem os hinos de Pernambuco e do Brasil.
Governador eleito Paulo Câmara em ato pró-Aécio. Foto: Igo Bione/JC Imagem.
O governador eleito Paulo Câmara, que está à frente da coordenação da campanha de Aécio no Estado, pediu empenho aos presentes na busca por votos dos indecisos nos próximos quatro dias até a eleição. “Como nos pediu Eduardo, no Jornal Nacional, não vamos desistir do Brasil e vamos unidos até domingo”, disse.
Após a derrota de Marina Silva no primeiro turno, o PSB passou a apoiar a candidatura de Aécio Neves (PSDB) para a presidência da República.

Após a eleição, deputados pernambucanos farão homenagem a Eduardo Campos

Ex-presidente do PSB, Eduardo Campos fez partido crescer. Foto: Agência Brasil

Eduardo Campos faleceu no dia 13 de agosto em plena campanha presidencial. Foto: Agência Brasil
Dois dias após o segundo turno da disputa presidencial, os deputados estaduais de Pernambuco irão realizar uma sessão solene na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para uma homenagem póstuma ao ex-governador Eduardo Campos, na próxima terça-feira (28).
A reunião solene irá ocorrer no Plenário da Alepe, às 18h. A proposta é do presidente da Assembleia, Guilherme Uchôa (PDT).
Eduardo Campos morreu no dia 13 de agosto, em um acidente aéreo ocorrido em Santos, no litoral paulista, em meio à sua candidatura à Presidência da República.
Eduardo Campos havia renunciado ao cargo de governador no início de Abril para disputar a presidência.
Após a tragédia, a família e os aliados do ex-governador passaram a apoiar a ex-senadora Marina Silva (PSB) e, depois, o senador Aécio Neves (PSDB) na corrida presidencial.
A família Campos também se envolveu na campanha do governador eleito, Paulo Câmara (PSB), e do senador eleito, Fernando Bezerra Coelho (PSB).

Mendonça Filho acusa farsa do PT na CPI da Petrobras

Foto: divulgação

Mendonça Filho (DEM), deputado federal por Pernambuco, acusou a campanha da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) de organizar uma “farsa” para prejudicar o andamento da CPI da Petrobras. O deputado se referia ao atestado médico enviado pela petrolífera para justificar a ausência de um diretor que deporia nessa quarta-feira (22).
Mendonça, junto com o também deputado e membro da CPI Onyx Lorenzoni (DEM-RS), sugeriu que a ausência de José Carlos Cosenza, diretor de abastecimento da estatal, foi uma estratégia armada pelo PT para evitar “mais um constrangimento” público às vésperas da realização do 2° turno das eleições.
“Gostaria de manifestar o meu espanto com a súbita doença do diretor Cosenza no dia de seu depoimento na CPMI. Isso mais me parece uma farsa comandada pelo marketing da campanha da presidente Dilma”, enfatizou o deputado.
Deputados do DEM e de outros partidos da oposição afirmaram que o documento apresentava sinais de fraude. Segundo eles, o documento não esclarecia qual a doença que motivou o afastamento de Cosenza da CPI. O documento citava uma “intercorrência clínica”.
Os deputados também dizem que, depois que o atestado foi divulgado pela imprensa, houve uma alteração sobre o quadro clínico do diretor. O documento apontava para uma crise de hipertensão.

Em entrevista, novo presidente do PSB não poupa críticas a Dilma e ao PT

Siqueira considera que Marina foi grosseira (Foto: Divulgação)

Carlos Siqueira, novo presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB), concedeu entrevista a um portal de internet nessa quarta-feira (22) e disparou várias críticas ao PT e, em especial, à presidente e candidata à reeleição pelo partido, Dilma Rousseff. “Esse estilo (agressivo) de fazer campanha é uma coisa muito própria da Dilma”, afirmou.
Carlos Siqueira disse também que “o PT tem um estilo muito pouco republicano de governar” e que a campanha apenas reflete as características do partido e a sua forma de fazer política.
O socialista falava da campanha de Dilma Rousseff no primeiro turno, quando marina Silva (PSB/Rede) recebeu uma enxurada de críticas e acusações de contradições por parte de Dilma. Marina acabou ficando de fora do 2° turno, perdendo o favoritismo para Aécio Neves (PSDB).
Apesar de possuir desavenças com Marina, Carlos Siqueira atribuiu o tom das agressões mais a Dilma que ao PT.
Sobre a decisão do PSB em declarar apoio a candidatura de Aécio Neves no 2° turno, quebrando uma aliança histórica com o PT, o novo presidente da sigla disse que essa foi uma decisão tomada pela maioria dos diretórios regionais do partido e que “é possível fazer política de centro-esquerda em outro pólo”. Siqueira ainda afirmou que “O PT não tem o monopólio da esquerda no Brasil” e que “o PSB não precisa de chancela para tomar posições”.
Apesar de fazer críticas diretas a Dilma, Siqueira minimizou o tom quando o nome em questão era o do ex-presidente Lula (PT). “Acho que esta forma de fazer campanha é uma coisa típica dela”, e completou ao dizer que “não tem dúvuidas” de que a campanha agressiva foi uma coisa buscada por Dilma.
Carlos Siqueira assumiu o cargo de presidente nacional do PSB substituindo Roberto Amaral, que ocupava o cargo de presidente interino desde a morte de Eduardo Campos, líder do partido que morreu no último dia 13 de agosto.

Mais um mico do PT

O PT usa photoshop para aumentar passeata, depois da vereadora Marília Arraes, ver a passeata que aconteceu em Caracas de sua janela em Goiana, o PT paga mais um MICO, dessa vez usa o truque do photoshop para aumentar a quantidade de pessoas em uma passeata.

Assim trabalha o PT



Caros amigos(as) 


Com a fraude na minha eleição/SP para Deputado Federal e a injustiça do STF contra mim, praticada por apenas três Ministros: Teori Zavascki, Celso de Melo e Carmem Lúcia. Perdi a crença nas instituições no Brasil que vive um momento político de inversão total de valores. 
Por eu ter levado a prisão o Banqueiro Corrupto Daniel Dantas, que foi condenado a 10 anos de cadeia por corrupção, o STF decidiu contra mim pela perda do cargo de Delegado de Polícia Federal, perda dos direitos políticos e 2 anos e alguns meses de prisão, convertido em prestação de serviços a comunidade. A minha luta contra corrupção se encerra porque estou abatido no campo de uma guerra desigual. 
Aqui nesse pais todos(as) que lutamos o bom combate pelo fim da corrupção podem sofrer perdas. Estarei aqui torcendo por vocês que ainda continuam lutando por um Brasil mais justo e que dê exemplo para as futuras gerações. Saúde e Paz

Romeu Tuma Jr. deuncia montagens de militantes do PT com intuíto de denegrir a oposição


A página da rede social Facebook do advogado Romeu Tuma Jr., ex Secretário Nacional de Justiça, no governo Lula, denunciou a criação de montagens, por parte de militantes do PT, com intuito de denegrir candidatos e figuras da oposição.
Mais uma montagem grosseira foi jogada na rede dessa vez a vítima é o candidato a presidente Aécio Neves. 
A PF está investigando de onde parte a publicação para chegar aos autores do crime.