Supermercado Brastudo

Supermercado Brastudo

terça-feira, 26 de maio de 2015

Empresária é sequestrada e morta por três assaltantes em Ouricuri

 

Segundo a Polícia Militar, a empresária Maria Vânia Araújo teria sido sequestrada por volta das 22h00 de ontem segunda-feira (25) por três homens, que foram até a casa da vítima em busca de uma grande quantia em dinheiro.

Chegando ao local, eles acharam apenas o valor de R$ 1 mil e alguns pertences da vítima. Os moradores da casa foram presos em um dos cômodos da casa. Ao saírem, os bandidos levaram a mulher como refém.

Nas primeiras horas desta manhã de terça-feira (26), mas precisamente por volta das 6h00, ela foi encontrada morta dentro de um carro Fiat Pálio cinza placas PEX 4971 / Ouricuri, na região do Tamboril, em uma estrada vicinal após a propriedade do senhor Zé Freire, a caminho do Alto da Aroeira.



O veículo foi estacionado a margem da estrada e no banco traseiro, sentada e morta, estava a empresária, amordaçada e amarrada com as mãos para traz e com um tiro próximo a nuca.

Uma viatura da PM foi acionada e chegou ao local e posteriormente o serviço reservado da PM e a Polícia Civil, para os exames preliminares.



Vânia, era proprietária de uma loja localizada em frente ao banco Santander e seu namorado foi morto a tiros em 2014 pelo ex marido em frente a referida loja.


informações  G1

Pronatec e Ciência sem Fronteiras sofrerão cortes este ano, diz MEC

Resultado de imagem para pronatec
O MEC (Ministério da Educação) vai cortar vagas do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) e do CsF (Ciência sem Fronteiras), de acordo com nota divulgada pela pasta, mas Programas de merenda e transporte escolar, além do PDDE (Dinheiro Direto na Escola), destinado a melhorias nos centros de ensino, serão mantidos sem cortes.O MEC informou que Pronatec, CsF "e outros, têm a sua continuidade garantida este ano, com o redimensionamento na oferta buscando otimizar o atendimento dos estados e das vagas, com ofertas que ainda serão definidas, mas que quantitativamente serão em número inferior ao do ano passado".De acordo com a nota, o número de vagas ofertadas pelo Pronatec "será divulgado em breve". O programa foi criado em 2011 para expandir a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país. Foi um dos carros-chefes na campanha da presidenta Dilma Rousseff, quando anunciou que pretendia criar mais 12 milhões de vagas.Um dos programas reduzidos dentro do Pronatec será o Sistema de Sisutec (Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica). O Sisutec, que seleciona para o ensino técnico estudantes que concluíram o nível médio com base nas notas no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), já teve as inscrições adiadas mais de uma vez. Não haverá edição no primeiro semestre, como geralmente ocorre. No ano passado, o programa ofereceu aproximadamente 580 mil vagas, somadas as duas edições.O Ciência sem Fronteiras tem editais de graduação e pós-graduação lançados ao longo de todo o ano. O programa implementou 78.173 bolsas, de acordo com o site do programa. No ano passado a presidenta Dilma renovou o CsF e garantiu 100 mil bolsas até 2018 além das 101 mil prometidas até o final de 2014.Além dos cortes, o MEC garantiu a manutenção integral dos programas PDDE, Merenda e Transporte. Os três, referentes à educação básica, constam na Lei Orçamentária Anual como despesa obrigatória. Para o PDDE estão previstos R$ 2,93 bilhões - no ano passado estavam previstos R$ 2,5 bilhões - para o transporte R$ 594 milhões, mesmo valor previsto no ano passado, e aproximadamente R$ 3,8 bilhões para merenda, contra R$ 3,6 bilhões no ano passado."Para se adequar aos ajustes, o  MEC vai priorizar atividades como a construção de creches. O Ministério também atua no sentido de garantir o os recursos de custeio necessários para garantir o funcionamento das Universidades e Institutos", diz ainda a nota.O contingenciamento foi anunciado na semana passada. Os ministérios das Cidades, da Saúde e da Educação lideraram os cortes no Orçamento Geral da União de 2015. Juntas, as três pastas concentraram 54,9% do contingenciamento (bloqueio) de R$ 69,946 bilhões de verbas da União. Na Educação, o contingenciamento totalizou R$ 9,423 bilhões.
Uol

Relator da reforma política propõe distritão e financiamento misto

Imagem para o resultado de notícias
O novo relator da proposta de reforma política, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), apresentou hoje (26/5) o texto que deve ir a votação a partir desta tarde no plenário da Câmara prevendo o sistema eleitoral chamado de distritão, a proposta de voto facultativo, o financiamento misto de campanha com recursos públicos e privados e o fim da reeleição. Maia se reuniu pela manhã com líderes partidários. O texto substitui o relatório do deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), produzido ao final das discussões na comissão especial da reforma política e que não foi votado.
O relatório de Maia mantém o distritão que estava no texto da comissão especial. Por esse sistema, são considerados eleitos os candidatos mais votados em estados e municípios. Rodrigo Maia defende que esse é o melhor sistema dentre os discutidos.
“É transformar um sistema que foi corroído pelas realidades no país, que é o proporcional aberto, onde nós chegamos ao ponto de ter 28 partidos na Câmara dos Deputados. Esse modelo está exaurido. O distritão também reduz o número de candidatos e concentra em cada um dos partidos aquele que tem compromisso com suas ideias,” disse.
Maia propõe o fim da reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos, mantendo a duração de mandatos eletivos de quatro anos. O texto não cita o caso dos senadores. Pelo texto da comissão especial, os mandatos passariam a ser de cinco anos. O relatório de Maia prevê ainda a coincidência de mandatos eletivos a partir de 2022. Os prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos em 2020 ficariam com mandato de dois anos.
No financiamento misto de campanha, é permitido aos partidos políticos receberem doações de pessoas físicas e jurídicas para as campanhas, devendo a lei estabelecer os limites máximos de arrecadação e gastos de recursos para cada cargo eletivo. O deputado Henrique Fontana (PT-RS) criticou a necessidade de elaboração de uma lei para estabelecer esses limites. “O texto novo veio com uma redação que joga para uma lei que pode nunca ser votada como é a realidade hoje do Brasil, que essa lei existe há cerca de dez anos e nunca foi votado um teto. Há uma tentativa de derrubar a lei de tetos que pode baratear as campanhas”, disse Fontana.
Em relação à fidelidade partidária, o relatório prevê que o detentor de mandato eletivo que se desligar do partido pelo qual foi eleito perderá o mandato, salvo nos casos de grave discriminação pessoal, mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário e fusão ou incorporação do partido político. O texto prevê que o político com mandato eletivo que se desligar do partido pelo qual foi eleito nos trinta dias seguintes à promulgação da emenda constitucional não perderá o mandato.
Também é proposta a mudança de data da posse do presidente e vice-presidente da República, passando do dia 1° de janeiro para o primeiro dia útil de janeiro.
Na noite de ontem, os líderes partidários e o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), fecharam acordo sobre a ordem de votação dos temas da reforma política. Pelo acordo, a votação será iniciada pelo sistema eleitoral, seguida pelo financiamento de campanha.
Correio Braziliense

PF e Interpol prendem no Recife mafioso italiano foragido há quase 30 anos


Segundo a Polícia Federal, os integrantes da máfia usavam de armas de fogo, intimidação e ameaça. A Interpol conseguiu identificá-lo usando uma identidade falsa no Brasil após fazer uma comparação de digitais. Aqui, ele possuía até cadastro de pessoa física e título de eleitor, obtidos ilegalmente. Pasquale se apresentava como empresário na cidade de Recife


A prisão foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) menos de 24h após o pedido formal na Interpol pela prisão dele. Agora, as autoridades italianas darão início ao processo de extradição do criminoso para a Itália.

Ao ser detido, declarou à PF que sua família - está casado com uma brasileira, mãe de suas filhas - não sabia de sua verdadeira identidade e que fugiu da Itália para não ser assassinado.

Com informações da Agência France-Presse

Patriota incendeia encontro e é ovacionado


De todos os presidentes de associações municipalistas que usaram da palavra na abertura da Marcha dos prefeitos em Brasília, José Patriota, da Amupe, foi o mais aplaudido. Patriota fez o discurso que os colegas prefeitos e vereadores queriam ouvir, com duras críticas ao Governo e ao Congresso.
Ao reproduzir a frase histórica do ex-governador Eduardo Campos – "Não vamos desistir do Brasil" – Patriota foi aplaudido de pé. Em seu discurso, o presidente da Amupe, que é prefeito de Afogados da Ingazeira, culpou o Governo Federal e o Congresso pelo endividamento e esvaziamento dos municípios, na medida em que criam novas responsabilidades sem dizer de onde vão sair os recursos.
Patriota chegou a afirmar que os prefeitos brasileiros são mais fiscalizados do que o Governo americano.
"Nós prefeitos não somos mágicos para fechar contas que nos são imputadas sem cobertura da União", alertou, adiantando que no Brasil prefeito virou um grande saco de pancadas.
Patriota disse ainda que o Congresso olha apenas para o seu umbigo. "Nós aceitamos a coincidência das eleições e o mandato de cinco anos. Mas mandato de dois anos enquanto deputados teriam cinco para ocorrer a coincidência, isso não aceitamos na reforma política", afirmou.
O presidente da Amupe condenou ainda o Governo pelo agravamento da seca no Nordeste, ressalvando que os municípios não têm dinheiro sequer para pagar carros pipas, enquanto as principais obras de ampliação da oferta de água, sob a responsabilidade da União, continuam paradas.